História

Ante a realidade social da região de Sapopemba, zonas leste da capital paulista, as comunidades do Setor na assembléia de 2000 assumiram a criação de um Centro de Direitos Humanos. Já existia uma tradição de organização e mobilização popular em Sapopemba, vez que em 1978 foi criado o CDDHS (Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Sapopemba). Em 1985, para uma melhor prestação de serviços os membros deste Centro de Defesa dos Direitos Humanos unificaram sua ação com outras iniciativas existentes em outros Distritos da Zona Leste de São Paulo, criando aí o Centro de Defesa dos Direitos Humanos Padre Ezequiel Ramín. Algumas lideranças que acompanharam todo este processo, hoje formam parte deste novo Centro de Direitos Humanos de Sapopemba (CDHS).

 

A luta pelos Direitos Humanos nos últimos anos tem levado a conquistas importantes na área Institucional: Conselho Estadual da Pessoa Humana, Comissões Parlamentares de Direitos Humanos, Ouvidorias da Polícia, etc. Todos importantes espaços para a denúncia das violações de direitos. Mas para as populações mais carentes e periféricas das grandes cidades, todos estes organismos ficam muito distantes e na maioria das vezes, desconhecem sua existência, ao mesmo tempo, estes não têm uma orientação específica à organização destas populações na defesa de seus direitos e na construção da cidadania. Foram estas carências que motivaram diferentes grupos a pensar na necessidade de um Centro de Direitos Humanos do Sapopemba.

 

O CDHS foi legalmente registrado e constituído como ONG na área dos direitos humanos, fundada em 16 de junho de 2001, no distrito de Sapopemba, como associação civil, sem fins lucrativos, de caráter não governamental, ecumênico e suprapartidáriosurgindo, a partir da caminhada e das lutas das comunidades eclesiais de base do Setor Sapopemba I da Região Belém, Arquidiocese de São Paulo, em parceria com as forças de transformação social presentes na região.