Formação sobre as eleições com grupo de moradia

Foi realizado no CDHS, dentro da programação da Escola de Cidadania de Sapopemba, um encontro para discutir o processo eleitoral com o grupo de moradia que se reúne ali de 15 em 15 dias. O professor Rogério Arantes, parceiro da ECS, enfatizou a importância das eleições na história do país, o valor do voto e o que a análise sociológica das eleições brasileiras mostra como tendências para o pleito de outubro deste ano. Apontou que o Brasil possui um dos maiores eleitorados e maiores índices de participação do mundo. Segundo estudos, o povo brasileiro não vota apenas porque o voto é obrigatório, mas por ter incorporado a consciência de sua participação na disputa política, uma forma de incidir nos destinos da sociedade. Confira aqui fotos do encontro.

 

Filme “Vai cair mais terra” na Escola de Cidadania

Em setembro 2018 a ECS acolheu em sua programação os cineastas ingleses, Sam Liebmann e Lee Mckarkiel, para a apresentação e debate em torno do filme “Vai cair mais terra”, que eles produziram a partir de um longo período de convivência com moradores, em especial uma família, da favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Essa família, formada por mãe, pai e dois filhos pequenos, morava em um barraco na parte mais alta e mais vulnerável da Rocinha, moradia extremamente precária e sujeita a desmoronamentos de terra e a incêndios, o que acontece realmente no filme. O filme retrata o dia-a-dia da família, com suas relações, suas lutas, seus medos, alegrias e sofrimentos, deixando os moradores falarem por si, expressando os sentimentos e vivências de toda uma comunidade que vive na exclusão social. O rico debate depois da projeção do filme concluiu que não poderá haver paz e segurança com índices de desigualdade social que fazem do Brasil um dos países mais desiguais do mundo. Vejam AQUI fotos do encontro de formação.

 

Escola da Cidadania de Sapopemba completa três anos

Pensada como processo permanente de formação para a participação social e política, a Escola de Cidadania de Sapopemba (ECS) chegou ao seu terceiro ano (e meio) no final de 2018. Ela é voltada em especial para lideranças comunitárias e de movimentos sociais atuantes na região. Contudo, por mais de dois anos, ela tem privilegiado os/as educadores/as das entidades sociais que atendem a população na região, principalmente o Centro de Defesa da Criança e Adolescente (Cedeca), o Instituto Daniel Comboni, que inclui desde creche até cursos profissionalizantes para adultos, e o próprio CDHS. Os encontros mensais de formação têm propiciado uma aproximação e maior sinergia entre as várias organizações, fortalecendo a sociedade civil que luta pelos direitos da população mais vulnerável no distrito, que tem hoje 46 favelas. Os temas do segundo semestre de 2018 foram: 1. Mudanças no Estatuto da Criança e do Adolescente; 2. Vivências psicossociais dos marginalizados, através do filme “Vai cair mais terra” (veja outra matéria aqui); 3. Devolutiva de pesquisas acadêmicas feitas na região; 4. Escola sem Partido e a pedagogia de Paulo Freire. Confira aqui fotos de momentos da ECS no 2º semestre.

 

70 anos da Declaração Universal: nota pública da Rede de Direitos Humanos

 

Na ocasião do 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948-2018) em 10 de dezembro, um grupo de ativistas de direitos humanos, atuantes em projetos e entidades que, no Brasil afora, são ligados aos missionários combonianos – entre eles o CDHS e o Cedeca Sapopemba, – publicaram uma declaração comemorando a data e expressando desafios e esperanças de quem luta pelos direitos e em favor dos grupos mais vulneráveis aos ataques dos vencedores das eleições deste ano. Diante de um quadro político que desde o regime militar nunca foi tão preocupante, o grupo se sente fortalecido pela sua articulação e a solidariedade com a imenso número de coletivos e movimentos que organizam a resistência à onda neofascista que, neste momento, assola o Brasil. Confira AQUI o documento.