Cdhs promove reforma de centro comunitário na favela

Com o intuito de possibilitar um projeto social em favor das crianças, das famílias e de toda a comunidade da principal favela do Parque Santa Madalena, o CDHS está realizando a reforma estrutural do prédio na Rua Rodrigues dos Santos, que já serviu de posto de saúde do SUS e hospedou um grupo de dependentes químicos em recuperação da Missão Belém. O prédio estava ocioso, sendo que apenas uma sala no andar térreo serve de lugar de oração da comunidade católica local. À frente do projeto de reestruturação, Renato, psicólogo do CDHS, tem a colaboração das várias pessoas da comunidade que se oferecem como voluntários, ajudando nos trabalhos e promovendo bazares de roupas usadas para arrecadar fundos. A paróquia Santa Madalena é parceira do CDHS nesta empreitada. A previsão de término da reforma é para o mês de novembro. Enquanto isso, está se pensando nas atividades que ali serão desenvolvidas, que incluirão reforço escolar, oficinas de arte e cultura, cursos de formação, biblioteca e panificação. Confira AQUI fotos do projeto.

Evento em apoio às Mães em Luta da Leste

Formou-se desde 2016, em Sapopemba, com o apoio do CDHS, um grupo de mães que perderam seus filhos adolescentes e jovens pelo braço armado do Estado. O CDHS oferece orientação jurídica, apoio psicológico e logístico ao grupo que vem aumentando de número e se articulando com movimentos similares na cidade e no país. Em agosto as Mães em Luto promoveram um evento político-cultural no CEU Rosa da China com a presença e apoio do CDHS. Houve depoimentos e apresentações de artistas Hip Hop que apoiam a luta das Mães por justiça e respostas à sua dor. O evento teve a participação de cerca de cem pessoas. Veja algumas fotos aqui.

CDHS integra Articulação Comboniana de Direitos Humanos

Desde sua fundação em 2001 o CDHS teve apoio significativo de um grupo de religiosos católicos, os Missionários Combonianos, que atuam há décadas na região de Sapopemba. O mesmo ocorreu em outras regiões do país, onde havia presença deles. Com isso, foi realizado em 20 e 21 de agosto de 2018, em São Paulo, um encontro com representantes de cerca de dez organizações de Direitos Humanos espalhadas pelo Brasil, com vínculo com os Combonianos, sua missão e sua espiritualidade. Desse encontro de 25 pessoas, surgiu a Articulação Comboniana de Direitos Humanos – ACDH, com intuito de partilhar experiências e projetos, e se fortalecer mutuamente na luta pelos direitos de populações e grupos vulneráveis e marginalizados. Decidiu-se que o grupo irá se reunir a cada ano em estados diferentes do Brasil. Confira aqui imagens e o documento conclusivo do encontro.

CDHS contribui para dinamizar Conferências da Criança e Adolescente

Como membro ativo e articulador do Fórum da criança e adolescente “Tecendo a Rede”, o CDHS deu uma contribuição decisiva para as Conferências públicas dos direitos das crianças e adolescentes – a primeira com a garotada, a segunda com os educadores e agentes sociais da área. Foi aplicada a metodologia do “mapa falado” – mapeamento em grupo sobre o que existe ou não no território, a partir do olhar das crianças e adolescentes. Isso produziu encontros dinâmicos e muito participativos, que empolgaram a garotada e os que trabalham com elas nos serviços e nas políticas públicas. Foram escolhidas propostas e votados delegados para a Conferência Municipal. Eles e elas irão participar motivados e conscientes do seu papel. Mais que formalidades, para constar, foram momentos de formação e integração que promoveram o protagonismo e deram impulso à organização no território. Você encontra aqui fotos das conferências.

 

Encontro sobre Saúde Mental em Sapopemba

Há meses o CDHS vem conduzindo um processo de discussão, coleta de dados e mobilização em torno dos problemas no atendimento à saúde mental da população de Sapopemba. Neste processo, foi realizado um terceiro encontro no começo de agosto para apresentar um panorama dos serviços existentes e problematizar as respostas à crescente demanda por saúde mental diante da crise socioeconômica e o aumento da pobreza, do desemprego e da violência: depressão, dependência de álcool e outras drogas, automutilação, suicídio e transtorno psíquicos graves. Paula Pavan, da Supervisão de Saúde de V. Prudente/Sapopemba, João Ferreira, especialista em saúde, e Carlos Neder, deputado que preside a CPI da saúde, foram os panelistas. O GT que coordena este trabalho está elaborando um dossiê sobre o assunto e espera realizar uma pesquisa nas unidades de saúde do distrito de Sapopemba. Veja AQUI fotos do evento.

 

Ação do CDHS para a inclusão escolar

Pais de crianças com necessidades especiais, como a Síndrome de Down e o autismo, têm procurado o CDHS por não conseguir, nas escolas públicas, o acompanhamento pedagógico que as normas para a educação inclusiva garantem aos seus filhos. Os alunos não são acompanhados por professores especializados e não recebem a atenção de que precisam em turmas muito numerosas. A equipe do CDHS tem realizado reuniões com as mães e movido uma ação junto ao MP reivindicando o direito das crianças e das famílias. Nesta luta estão juntos professores da UFABC. No momento são oito famílias unidas nesta ação, buscando o direito dos seus filhos. Veja aqui foto da reunião no MP.

 

Mães em Luto e familiares de encarcerados se reúnem no CDHS

O tema do encarceramento em massa entrou como prioridade em 2018 no planejamento do CDHS. Muitas famílias no bairro têm familiares presos e a maioria daquelas que procuram o CDHS também lidam com questões do encarceramento: prisões arbitrárias, encarceramento sem condenação, andamento de processos, falta de informação, todo tipo de violações de direitos da pessoa no cárcere e das familiares que a visitam, etc. Após um primeiro encontro com agentes da pastoral carcerária, as reuniões se sucederam ao longo do ano envolvendo familiares, o grupo das Mães em Luto da Leste, a Associação de amigos e familiares de presos/as (Amparar), convidados variados e membros das equipes do CDHS / Cedeca. Tem sido importante para as família sentir-se acolhidas, ouvidas, orientadas e apoiadas na difícil tarefa de acompanhar seus entes queridos no sistema prisional. 

 

Comunidade da favela da Rodrigues se organiza

Com o projeto de reforma do centro comunitário dentro da favela já em estado avançado, as lideranças e moradores da “Rodrigues” – nome que designa uma das maiores favelas do Parque Santa Madalena – se reuniram para pensar as possibilidade de uso e gestão do espaço que ficará pronto nos primeiros meses de 2019. Já sede de posto de saúde do SUS, a estrutura, em dois pisos, abrange duas salas grandes e vários cômodos, um espaço muito bom para atividades com crianças, adolescentes, jovens e adultos – atividades de formação, recreativas, culturais, oficinas de arte, dança e música e treinamento para o mundo do trabalho. O prédio pertence à paróquia Santa Madalena e será administrado em conjunto pela comunidade, o CDHS e o Cedeca. Alguma atividade já está acontecendo na rua e no prédio. Espera-se terminar a reforma e dar início a uma programação sustentada no espaço comunitário a partir do mês de março 2019. Confira fotos do projeto na Rodrigues aqui.

 

CDHS articula lideranças de Sapopemba após eleições

A campanha eleitoral deste ano e seu resultado, com a vitória da direita em São Paulo e no país, instituíram um clima de hostilidade e perseguição a grupos sociais considerados diferentes e aos defensores dos direitos humanos. Numa região que foi, tradicionalmente, base de movimentos, sindicatos e partidos progressistas, como Sapopemba, a direita também prevaleceu nas últimas eleições. Diante do quadro preocupante, o CDHS promoveu um encontro com lideranças sociais e políticas da região para fazer uma leitura coletiva da situação pós-eleitoral, o que ela enseja em termos de possíveis cenários e desafios para o futuro das entidades e movimentos sociais. Foi uma análise preliminar da conjuntura, onde foram partilhadas compreensões e preocupações, com a unânime posição de que enfrenta-se um tempo de risco e resistência, que demanda união e articulação mais firmes de todas as forças democráticas e defensoras dos direitos humanos da região e com outras forças afins na cidade e no estado. Para dar continuidade à reflexão e ao debate em cima de propostas de ação em conjunto, foi marcada outra reunião para o mês de janeiro. Confira fotos do encontro aqui

 

GT da Saúde realiza audiência pública comunitária

O CDHS e as entidades parceiras em Sapopemba marcaram o aniversário de 70 anos da Declaração Universal de Direitos Humanos promovendo uma audiência pública comunitária em 07 de dezembro, como ponto alto do trabalho do GT da Saúde ao longo de 2018. A questão da saúde mental na região tinha entrado como prioridade no planejamento do CDHS para o ano, a partir da percepção de um aumento de sofrimento psíquico nas pessoas e nas famílias atendidas pelas entidades sociais na região, sofrimento que frequentemente não encontrava respostas adequadas das unidades de saúde, UBS e CAPS, no distrito. Formou-se assim o GT com representantes de várias organizações da região, o qual se reuniu com regularidade, se articulou com outras forças e promoveu encontros, oficinas e seminários. O resultado deste processo foi documentado em um dossiê (clique aqui para saber mais) que foi lançado na audiência diante de numeroso público e das autoridades do poder executivo, legislativo e judiciário ligadas à saúde no município de São Paulo. Foram feitos encaminhamentos para que o processo continue em 2019. Você encontra aqui fotos da audiência pública.

 

CDHS lança dossiê sobre saúde mental em Sapopemba

 

Culminando uma ação que se desenrolou durante o ano todo de 2018, o GT da Saúde Mental de Sapopemba, liderado pelo CDHS, publicou um dossiê que apresenta os problemas no atendimento à saúde mental na região, do ponto de vista das entidades social que lá atuam. O dossiê foi apresentado em audiência pública comunitária no dia 07 de dezembro. Com 24 páginas, o documento apresenta dados sociais da região de Sapopemba, do que existe em termos de serviços públicos de saúde e da rede de atendimento, além da leitura dos problemas e deficiências no atendimento à saúde mental que o GT elaborou em suas reuniões e seminários durante 2018. O dossiê finaliza com recomendações e sugestões para melhorar os serviços e atender melhor uma demanda crescente da população em termos de saúde mental diante do grave quadro de pobreza, desemprego e violência da região. Veja o dossiê da saúde mental aqui. Fotos você encontra AQUI.

Nota de Posicionamento Contra a Violência no Campo

 

O Centro De Direitos Humanos de Sapopemba - CDHS, integrando a Articulação de Monitoramento dos Direitos Humanos no Brasil, divulga Nota de Posicionamento Contra a Violência no Campo. Entendemos que políticas de direitos humanos jamais serão estimuladas pelo uso da violência e com a supremacia da propriedade sobre a vida.

Leia a Nota Completa, clicando aqui.

Continuamos atuando cotidianamente contra a agenda de redução de direitos do governo atual ao passo que somos solidários às lutas por direitos, especialmente pela vida e pelo fim da desigualdade social.