Mais um jovem tinha sido executado durante a noite na favela do Parque Santa Madalena. Outro adolescente estava no hospital. Tinha sobrevivido a quatro balas, na ação de dois homens em perfeito estilo de esquadrão da morte. Isto culminava uma serie ininterrupta de mortes violentas de jovens desde o começo do ano. Aliás, uma história triste que vem acontecendo há muito tempo no bairro. Tinha se verificado uma diminuição das mortes algum tempo atrás. Agora a violência parecia ter retornado com maior intensidade ainda. Muitas famílias choram a vida dos seus entes queridos ceifadas violenta e precocemente. A população não aguenta mais. Sua dor e sua indignação foram levadas a público na Ave. Sapopemba numa manifestação quase que espontânea organizada pela própria comunidade com o apoio das organizações sociais que atendem suas necessidades. Faixas, gritos, falas e uma caminhada seguida do gesto de bloquear momentaneamente o trânsito expressaram os sentimentos de uma comunidade acuada pela violência, mas disposta a não ficar calada e paralisada. A mãe da mais recente vítima fez uma fala pública pedindo providências para que outras mães não tenham que passar pela mesma dor. Uma nota pública divulgada amplamente pediu uma investigação séria sobre a chacina para que não fique na estatística dos crimes impunes.

População E Entidades Do Sapopemba Protestam Contra Execução De Jovens