O grupo Mães de Luto da Leste foi criado há dois anos por mães que tiveram seus filhos assassinados por policiais ou criminosos comuns. Indignadas com o descaso do sistema de segurança e justiça no que diz respeito às investigações dos homicídios, as mães das vítimas se juntaram para compartilhar a dor da perda, mas também com vistas a pressionar as autoridades competentes para que os assassinatos de seus filhos/as sejam investigados e os responsáveis devidamente processados e responsabilizados. No dia 11 de março de 2017 o grupo Mães em Luto da Leste se reuniu no CDHS com as mães do grupo Amparar, Mães de Maio e representantes de várias outras entidades. O encontro que contou com mais de 50 pessoas, resultou numa agenda com vários compromissos, como: promover um ato público uma vez por mês na Praça da Sé para lembrar à sociedade as mortes dos/as filhos/as que formam as estatísticas do genocídio da juventude negra e pobre no país; continuar com as visitas de mães para mães que tiveram seus filhos assassinados e fomentar essas visitas nas regiões onde elas ainda não acontecem; criar espaços de formação nos encontros das mães para potencializar seus conhecimentos dos sistemas de segurança e justiça; participar de ato no dia 29 de abril no Largo do Grimaldi com o respaldo de Anistia Internacional Brasil. Enfim, marcar agenda com autoridades do Sistema de Justiça. Para o CDHS, apoiar iniciativas como estas faz parte dos seus compromissos. Acreditamos que qualquer superação da violência, principalmente a violência institucional, passa, necessariamente, pelo protagonismo de suas vítimas diretas e indiretas. O CDHS está estimulando o crescimento de uma unidade das Mães em Luto da Leste na região de Sapopemba.

CDHS Acolhe Encontro Das Mães Em Luto